Archive for the ‘Saúde’ Category

Identificado gene que propaga o cancro da mama

06/01/2009

mama1O gene, chamado Metaderina ou MTDH, está activo em 30 a 40% dos pacientes. Situado numa pequena região do cromossoma humano, este gene parece ser crucial para a formação de metástases, ao ajudar as células cancerosas a fixar-se aos vasos sanguíneos de outros órgãos do corpo.

A identificação do mecanismo genético envolvido na formação de metástases do cancro da mama poderá abrir caminho ao desenvolvimento de novos tratamentos capazes de neutralizar a actividade do gene e reduzir a mortalidade.

«Neutralizar esse gene nos pacientes com cancro da mama permitirá atingir simultaneamente dois objectivos importantes: reduzir o risco de recorrência do tumor e ao mesmo tempo a sua disseminação noutros órgãos», afirma num comunicado Yibin Kang, professor de Biologia Molecular na Universidade de Princeton (Nova Jersey) e principal autor do estudo.

«Estas são clinicamente as duas principais razões pelas quais os pacientes atingidos por cancro da mama sucumbem à doença», acrescenta o investigador, cujo trabalho vem hoje publicado na revista Cancer Cell.

«Não só foi exposto um novo gene responsável pelas metástases do cancro, como se trata também de um desses poucos genes cujo modo de acção preciso foi esclarecido», comentou Michael Reiss, director do programa de investigação sobre cancro no Cancer Institute de Nova Jersey e um dos co-autores do estudo.

«Esta descoberta permitirá desenvolver um medicamento capaz de neutralizar o mecanismo de metástases do cancro», considerou.

Estes investigadores descobriram também que o gene MTDH poderá também explicar a progressão e propagação de outros tipos de cancro, como o da próstata.

O estudo foi financiado pelo Departamento da Defesa, os Institutos Nacionais de Saúde e a Sociedade Americana do Cancro.

Apesar de não ser dos mais letais, o cancro da mama tem uma alta incidência e uma alta mortalidade, sobretudo na mulher, sendo que apenas um em cada 100 cancros se desenvolve no homem.

Em Portugal, com uma população feminina de 5 milhões, surgem actualmente 4.500 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja 11 novos casos por dia, morrendo diariamente quatro mulheres com esta doença, segundo dados da Liga Portuguesa contra o Cancro.

Faça exercício

04/01/2009

Vantagens da caminhada

caminhar

Aquilo que trinta minutos de caminhada:

– Prevenir ataques e problemas de coração;

– Controlar a pressão arterial;

– Reduzir os níveis de colesterol;

– Tonificar os músculos e fortalecer os ossos;

– Aumentar os níveis de energia e tirar o máximo proveito da sua vida;

– Controlar o peso, melhorar o sono;

– Aumentar o seu bem-estar físico e mental.

Como caminhar

– Começar devagar, apreciar o que está à sua volta e, gradualmente, estabelecer meia hora de caminhada por dia;

– Usar sapatos e roupas confortáveis;

– Evitar caminhadas longas após as refeições;

– Dar passos moderados no início e no final da caminhada;

– Caminhar com outras pessoas pode ser muito mais agradável que caminhar sozinho.

Mas há que ter em conta

– Se já teve problemas de coração ou qualquer outra doença grave, sentiu dores no peito, tontura ou naúsea a caminhar, procure o seu médico!

Aumenta o número de dadores de sangue em Portugal

04/01/2009

sangueOs portugueses estão mobilizados para dar sangue, tanto assim que as unidades escolhidas pelo Instituto Português do Sangue (IPS) têm vindo a crescer progressivamente nas últimas décadas. Se a situação no País é totalmente segura, relativamente à quantidade de sangue disponível, tal não se significa, porém, que deixe de ser necessário fazer dádivas continuamente. O aumento do número de cirurgias em Portugal é a principal razão.

Em primeiro lugar, a população está a envelhecer, pelo que se vê cada vez mais sujeita a intervenções cirúrgicas – que consomem grandes quantidades de sangue. Também o desenvolvimento da tecnologia de ponta, actualmente aplicada à medicina e sobretudo em transplantes, permite realizar cirurgias que há anos não eram possíveis e que, hoje em dia, se fazem cada vez mais. Um outro factor, mais recente, é a recuperação das listas de espera de cirurgia.

Há mais sangue novo

Os dados do IPS evidenciam a evolução: o número de dadores inscritos e a consequente colheita de sangue aumentou continuamente entre 1996 e 2006. Embora os últimos registos publicados se reportem a 2006, a entidade garante que também em 2007 e 2008 se verificou um aumento nos dois vectores.

A presidente da Associação Portuguesa de Imunohemoterapia, Maria Helena Gonçalves, dá o exemplo do Centro Regional de Sangue de Coimbra (CRSC), a que a instituição está presentemente ligada, para sustentar este fomento: ” para dar um exemplo, posso dizer que, desde que foi criado o CRSC, em 1992, as dádivas nesse centro elevaram-se de 5.410 em 1992, para cerca de 75.000 em 2008″. Este aumento traduz duas realidades importantes. Por um lado, a fidelização dos dadores inscritos. A fidelização é fundamental. “É a maior recompensa que os organismos de colheita de sangue podem obter dos seus dadores”, considera Maria Helena Gonçalves, reforçando: “além do mais, significa que ao efectuarem a sua dádiva tiveram uma agradável experiência e voltaram as vezes possíveis.Estes são os dadores mais seguros, uma vez que são escrutinados, clínica e laboratorialmente, várias vezes por ano”, destaca.

Por outro lado, o facto de a idade média dos dadores portugueses ter baixado é um aspecto decisivo. “Os jovens estão a alargar a base nacional de dadores”, enaltece Leonilde Outorelo, do IPS, e ilustra esta realidade com a idade-média actual do dador português: 36-37 anos, quando há menos de uma década se situava nos 40-41 anos.

Portugal está bem posicionado nesta causa, entre os países da União Europeia (pré-alargamento) – isto é, tem auto-suficiência nacional. O mesmo é dizer que atinge anualmente, e no mínimo, as 40 dádivas de sangue por mil habitantes.

Genéricos ganham quota de mercado

04/01/2009

simposio_medicamentos_genericosA Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) revelou que, entre Janeiro e Novembro do ano passado, foram vendidas, em Portugal, cerca de 31 milhões de embalagens de genéricos, mais quatro milhões que em igual período do ano passado. Deste modo, a quota de mercado passou de 11,69 para 13,62 por cento, correspondendo a uma taxa de crescimento de 14,7 por cento. Em comunicado, o Infarmed considerou que os dados “acentuam a tendência para atingir a situação que se verifica na generalidade dos países europeus, onde o mercado de genéricos está mais solidificado”.

“Telefone da Esperança” já toca em Portugal

04/01/2009

telefone1222 030 707. É este o número que já está disponível em Portugal, com a missão de prestar auxílio gratuito a pessoas que vivem em situações de crise. Ideia da Organização Não Governamental “Telefone da Esperança”, fundada em Espanha em 1971, este projecto oferece um serviço gratuito, anónimo e especializado a todos os que precisem de apoio, diariamente entre as 20h e as 23h00, sem excepção para os fins-de-semana ou feriados.